“Tropa de Elite” estréia na Berlinale com problemas técnicos e aplausos moderados

Tropa de Elite estréia na Berlinale

O filme brasileiro Tropa de Elite (ou Elite Squad, seu título em inglês), teve problemas técnicos na Berlinale, em sua apresentação para a imprensa especializada. Ao final de sua exibição, houveram aplausos e vaias. O filme foi exibido no original em português, com legendas em alemão – o normal seriam legendas em inglês, como acontece com todos os outros filmes exibidos. Por causa disso, os jurados e o presidente do júri, o cineasta grego Costa-Gavras, tiveram que utilizar fones de ouvido, com narração em voz feminina(!!). Isso inegavelmente reduz bastante o impacto realista do filme, que tem muitos diálogos sobrepostos e ágeis.

problemas técnicos na BerlinaleJá a chamada “sessão oficial competitiva” do filme foi exibida à noite, com aplausos moderados da platéia ao final da projeção. O diretor José Padilha adotou tom sóbrio quando subiu ao palco, antes de chamar sua comitiva. “Muito obrigado. Estamos todos muito honrados de estar aqui no Festival de Berlim. Estamos honrados, mas obviamente não podemos estar felizes, por causa desta situação no Brasil“.

Em seguida, o diretor chamou ao palco os integrantes da equipe de produção que vieram a Berlim, com destaque para os atores Wagner Moura (o mais aplaudido de todos) e Maria Ribeiro (única mulher no grupo, que recebeu do festival um delicado arranjo de flores). Também subiram ao palco o fotógrafo Lula Carvalho, o assistente de direção Rafael Salgado, o produtor Marcos Prado, o distribuidor internacional Harvey Weinstein e o co-produtor argentino Eduardo Costantini.

 

Público se diverte com palavra “Estratégia” dita em alemão

Durante essa segunda sessão, o público teve um momento de descontração. A risada foi grande na cena em que, durante o curso de treinamento dos novos oficiais do BOPE, o Capitão Nascimento pronuncia a palavra “estratégia” em diversas línguas – com pequeníssimas variações. Quando ele fala em alemão, a platéia deu sonoras risadas.

Sem dúvida, o filme de José Padilha chamou a atenção da crítica com seu ritmo frenético, movimentos de câmera ágeis e trilha sonora ao som de rock pesado. Também nesta segunda-feira, além de outros concorrentes, foi exibido um dos favoritos, o esperado Sangue Negro, de Paul Thomas Anderson. Protagonizado por Daniel Day Lewis, o filme também concorre a 8 Oscars na cerimônia em Los Angeles (EUA) no final do mês.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário