Elenco afiado é o destaque de O JÚRI, baseado em best-seller de John Grisham

O Júri

O Júri (poster)O JÚRI (RunAway Jury). EUA, 2003, 02h07min. Direção: Gary Fleder. Com Dustin Hoffman, Gene Hackman, John Cusack e Rachel Weisz.

Embalado por seu estrelado elenco e dirigido de forma competente, O Júri mostra como é possível se manipular um corpo de jurados através da tecnologia e do poder do dinheiro. O roteiro é baseado num livro do autor de best-sellers do gênero, John Grisham (“O Cliente”, “Tempo de Matar”). Comandado pelo diretor Gary Fleder (“Refém do Silêncio”, “Beijos que Matam”), o filme mantém um clima constante de de tensão e suspense, enquanto tentamos montar as peças do quebra-cabeça.

A estória foca principalmente na idéia central do processo, na espionagem e nas possibilidades de manipulação de um corpo de jurados. A figura central é Nicholas Easter (John Cusack, de “Con Air – A Rota da Fuga”), que é indicado para ser jurado num caso de um executivo casado que é assassinado em seu próprio escritório. Sua mulher resolve processar a firma que produz a arma do crime, e as vende sem maiores controles. É esse o caso que vai a julgamento para o honesto promotor de justiça Wendell Rohr (Dustin Hoffman, de “Rain Man” e “Tootsie”).

Gene Hackmann e Dustin Hoffmann se enfrentam no tribunal

Gene Hackman (O Júri)A indústria de armas, porém, tem mais poder de fogo e convoca Gene Hackman (“Inimigo do Estado”, “Sem Saída”), especialista na manipulação de jurados. Vão então surgindo as revelações, mostrando como os jurados não são apenas avaliados, mas também espionados e vítimas de chantagem. Deste modo, aprendemos que todo mundo tem um segredo e por isso é passível de ser chantageado.

Temos ainda uma outra trama paralela, já que Cusack está de conchavo com uma namorada (a inglesa Rachel Weiz, de “A Múmia” e “O Jardineiro Fiel”). Ela faz chantagem também com os dois lados, na certeza de que ele será capaz de manipular os resultados, levando o júri para onde quiser.

Apesar do final politicamente correto e moralista, o filme é de primeira linha, sempre envolvente, polêmico e original. Vale assistir.

 

O JÚRI – Assista um trecho do filme (legendado):

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário