Estudo conclui que mulheres e negros são cada vez mais minoria em Hollywood

mulheres e negros são minoria em Hollywood
As atrizes OCTAVIA SPENCER e JESSICA CHASTAIN
Kathryn Bigelow
KATHRYN BIGELOW, vencedora do Oscar de Melhor Diretora em 2008 por “Guerra ao Terror”

 

Pesquisadores da Universidade da Carolina do Sul, nos EUA, examinaram 700 filmes que foram sucesso de bilheteria nos cinemas entre os anos de 2007 e 2014. O objetivo era medir o grau de diversidade de gênero e etnia nas produções cinematográficas norte-americanas. A conclusão foi que homossexuais, mulheres e negros são minoria em Hollywood, onde predominam cada vez mais homens heterossexuais de etnia branca.

Tal quadro já vem sendo combatido por algumas celebridades em Hollywood, entre elas Meryl Streep e Patricia Arquette, que até comentou a situação durante seu discurso de agradecimento pela estatueta recebida como Melhor Atriz Coadjuvante durante a última cerimônia de entrega do Oscar (vide foto principal desse post).

 


Veja alguns números mais relevantes deste estudo, que conclui que cada vez mais, mulheres e negros são minoria em Hollywood:

 

Considerando os personagens com fala (ou seja, que possuem diálogos) dos filmes entre 2007 e 2014:

70% são homens e apenas 30% são mulheres;

73% são brancos e 27% são de outros grupos étnico/raciais, como negros, afro-americanos, latinos, hispânicos e orientais;

95% se declararam heterossexuais e 5% foram identificados como LGB (lésbicas, gays ou bissexuais). Nenhum personagem transgênero ou transsexual apareceu nos 100 filmes de maior bilheteria de 2014, por exemplo.

Considerando somente o ano de 2014:

Apenas 28% das personagens eram femininas – 72% masculinos;

25% das personagens femininas aparentavam ter mais de 40 anos de idade;

17% dos filmes não tinham nenhuma personagem negra com fala e cerca de 45% não tinham nenhuma asiática.

Considerando os diretores desses filmes:

96% dos diretores são homens e apenas 4% são mulheres, como Angelina Jolie, Nora Ephron e Kathryn Bigelow. Dos top 100 filmes de maior bilheteria em 2014, apenas 2 deles foram dirigidos por mulheres;

91,5% dos diretores são brancos, apenas 6% são de origem negra ou afro-americana e míseros 2,5% são de origem asiática.

 


Os pesquisadores declararam ainda que, de maneira geral, quando personagens femininas aparecem, elas tem maior tendência que os masculinos a serem mostradas como “secundárias” e quase sempre vivem “um relacionamento romântico sério“.

Está claro que o ativismo ainda é necessário. Reformular as solicitações de maior equidade entre sexos e etnias feitas aos roteiristas e produtores dos filmes pode ser um caminho a ser seguido daqui em diante“, declarou uma das autoras do estudo, Katherine Pieper, à agência France Presse.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário