Realmente não tem prá ninguém: o filme solo dos Minions vem arrebentando nas bilheterias mundiais e até superaram as expectativas dos estúdios Universal. A diretoria do estúdio estava confiante no sucesso do filme – tanto que resolveram apostar no filme-solo das criaturinhas amarelas – mas não esperava todo esse estrondo: o terceiro filme da franquia iniciada por Meu Malvado Favorito em 2010 acaba de superar a marca de 1 bilhão de dólares nas bilheterias mundiais, considerando os números fechados até quinta-feira, 27/08/15.

Em termos mundiais, Minions já superou a bilheteria dos dois filmes anteriores. Meu Malvado Favorito (2010) fez US$ 543 milhões e Meu Malvado Favorito 2 (2013) fez US$ 971 milhões mundialmente. Se considerarmos apenas os EUA e corrigirmos os valores pela inflação, o filme ainda está abaixo da sequência de 2013: Meu Malvado Favorito 2 faturou nos EUA US$ 380 milhões, enquanto que Minions por enquanto fez na terra do Tio Sam “apenas” US$ 322 milhões – e dificilmente conseguirá superar o filme anterior nos EUA.

No Brasil, o filme também quebra recordes e atingiu no último fim-de-semana a espetacular marca de 9 milhões de espectadores, já tendo faturado quase R$ 120 milhões somente nos cinemas por aqui – é a segunda animação mais vista no Brasil em todos os tempos, perdendo apenas para Era do Gelo 3, que em 2009 levou cerca de 9 milhões e 280 mil pessoas aos cinemas tupiniquins. Ao contrário do que ocorreu nos EUA, porém, aqui no Brasil o filme Minions já superou Meu Malvado Favorito 2, que levou cerca de 7 milhões de espectadores aos cinemas nacionais em 2013.

Esses números somente confirmam a incrível supremacia que os estúdios Universal vem imprimindo sobre os concorrentes até aqui no ano de 2015. Dentre os seis filmes de maior bilheteria mundial esse ano, quatro são da Universal – sendo que três deles já superaram a cifra de um bilhão de dólares no planeta.

Clique aqui e acesse o post com a sinopse e os trailers de MINIONS

 

Redes Sociais
Facebook
Instagram
Twitter
YouTube
Pinterest
LinkedIn
assine nossa newsletter
inscreva-se em nosso feed RSS

Deixe seu comentário