Esvaziada, premiação do GLOBO DE OURO é a mais equilibrada dos últimos anos

Globo de Ouro 2008

Sem roteiristas, como já era sabido, mas também sem atores ou atrizes, sem champanhe, sem festa e acima de tudo chata e sem graça. Foi assim a cerimônia de entrega do Globo de Ouro 2008, realizada na noite do último domingo em Los Angeles (EUA). Com a greve dos roteiristas, os organizadores resolveram promover uma entrevista coletiva para a imprensa, em que foram anunciados os premiados no cinema e na TV americanos do ano passado. Foi a primeira vez em 65 anos de premiação que não houve entrega dos prêmios ao vivo no palco, e sim um simples anúncio dos vencedores.

Além do desânimo e do constrangimento evidentes, o equilíbrio marcou a premiação deste ano, que viu quatro filmes levarem dois prêmios cada. Mas se não houve grandes vencedores, com certeza tivemos dois grandes derrotados. Um deles é a comédia política Jogos do Poder, dirigida por Mike Nichols e estrelada por Tom Hanks e Julia Roberts, que foi o segundo filme com mais indicações (cinco). Outro grande perdedor da noite foi o novo filme de George Clooney, Conduta de Risco, que recebeu 4 indicações. Nenhum desses dois filmes ganhou uma estatueta sequer. E não bastasse isso tudo, entrega do prêmio especial pelo conjunto da obra para o diretor Steven Spielberg ficou para o ano que vem.


Globo de Ouro


Confira a relação dos premiados no

GLOBO DE OURO 2008

 

Desejo e Reparação (Atonement) O líder em indicações (sete) levou o prémio máximo (Melhor Filme Dramático), mas além desse apenas o de Melhor Trilha Sonora. O filme já pode ser visto no Brasil, pois estreou por aqui no último final de semana.

O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet (Swenney Tood) – ganhou como Melhor Filme Comédia/Musical e Johnny Deep venceu como Melhor Ator de Comédia/Musical. O filme estréia no Brasil em fevereiro.

O Escafandro e a Borboleta (Le Scaphandre et le Papillon) até certo ponto surpreendeu, pois levou o prêmio de Melhor Diretor (para Julian Schnabel), que tinha fortes candidatos. O prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (é uma produção americana e francesa) confirmou a premiação no ano passado de melhor direção no Festival de Cannes.

Onde os Fracos Não Têm Vez (No country for old men) – Era um dos favoritos, mas ganhou apenas os prêmios de Melhor Roteiro (para os Irmãos Coen, que também dirigem o filme) e Melhor Ator Coadjuvante (para Javier Bardem).

Sangue Negro (There Will be blood) – Levou o prêmio de Melhor Ator Dramático (para Daniel Day-Lewis).

Longe dela Levou o prêmio de Melhor Atriz Dramática (para a veterana Julie Christie).

Piaf – Um Hino ao Amor (La Môme) – Levou o prêmio de Melhor Atriz Comédia/Musical (para Marion Cotillard).

Não estou lá (I’m not there) Levou o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (para Cate Blanchett), que também concorreu, aliás, a melhor atriz dramática.

Ratatouille Ganhou como Melhor Animação.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário