Latinos dominam prêmios principais no Festival de Veneza 2015; brasileiro “Boi Neon” se destaca

Festival de Veneza 2015Pode-se dizer que a América Latina foi a grande vencedora da 72ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza, realizado no Palácio do Cinema, na cidade de Veneza, na Itália, que terminou no último domingo (12/set). Os dois únicos títulos latino-americanos da competição oficial levaram dois dos principais prêmios do festival: a coprodução venezuelana e mexicana “Desde Allá”, dirigida por Lorenzo Vigas, ganhou o Leão de Ouro de Melhor Filme, e o argentino Pablo Trapero recebeu o Leão de Prata de Melhor Diretor pelo longa “O Clã”. De quebra, o mexicano Alfonso Cuarón presidiu o júri do festival esse ano – e por isso foi acusado por parte da imprensa de ter favorecido os filmes latinos nas premiações.

Festival de Veneza 2015
o argentino PABLO TRAPERO, Leão de Prata de Melhor Diretor em Veneza-2015

A equipe de produção de “Desde Allá” retrata muito bem a cooperação cinematográfica latino-americana: alguns atores são chilenos, parte dos produtores é mexicana e até a montadora é uma brasileira (Isabella Monteiro de Castro). Trata-se do primeiro longa-metragem dirigido pelo venezuelano Vigas, cujo roteiro fala sobre a conturbada relação entre um homem de meia idade homossexual, que vaga pelas ruas de Caracas em busca de jovens amantes, com um garoto pobre que mora nas ruas da capital venezuelana. A imprensa especializada que cobriu o festival contestou bastante o resultado, vaiando o filme de maneira estridente quando da divulgação dos prêmios. Foi a primeira vez que um filme latino-americano venceu o Leão de Ouro na história do festival italiano.

Os EUA tiveram que se contentar com o o grande prêmio do júri (uma espécie de vice-campeão do festival), que premiou a animação adulta “Anomalisa”, de Charlie Kaufman e Duke Johnson. Já os europeus ficaram com os prêmios de atuação e roteiro. O garoto Abraham Attah, que protagonizou o violento filme produzido pela NETFLIX, “Beasts of No Nation“, de Cary Fukunaga, ganhou o prêmio de ator revelação do ano.

 

Filme brasileiro “Boi Neon” se destaca na mostra paralela

Festival de Veneza 2015Na esteira do ótimo desempenho latino-americano na mostra principal, até o Brasil saiu-se bem com um filme na mostra paralela “Horizontes“: O segundo prêmio mais importante dessa categoria – o Prêmio Especial do Júri – foi para o longa-metragem “Boi Neon”, do pernambucano Gabriel Mascaro, uma coprodução brasileira e uruguaia. O filme traz como protagonista Iremar (Juliano Cazarré), um vaqueiro viril do interior do sertão nordestino, que sonha com uma carreira fashion – ele quer ser costureiro de vestidos de gala. Vinicius de Oliveira, o Josué de “Central do Brasil“, também está no elenco, além de Maeve Jinkings (que faz Galega, uma mulher masculinizada que dirige caminhões e entende de ferramentas), Aline Santana e Carlos Pessoa.

“Boi Neon” é um filme esteticamente bem diferente do que é tradicionalmente retratado pelo cinema brasileiro ao longo dos anos. A estória é ambientada em um Nordeste rico e contemporâneo, com menos aridez e “cabra-machos”, e muito mais colorido no visual. O longa foi selecionado pela curadora do Festival de Veneza, Violeta Bava, que esteve no Rio de Janeiro em maio passado, e também chamou a atenção de Cameron Bailey, diretor artístico da 40ª edição do TIFF – Festival Internacional de Cinema de Toronto. A produção entrou na programação da mostra competitiva “Plataforma” do festival canadense desse ano, que ocorre ainda durante o mês de setembro.

Outra produção brasileira exibida na mostra Horizontes – o longa-metragem “Mate-me Por Favor“, de Anita Rocha da Silveira – teve o elenco agraciado com o prêmio Bisatto D’Oro, concedido pela crítica independente italiana. Já o curta “Tarântula“, de Aly Muritiba e Marja Calafanje, não foi premiado.


 

FESTIVAL DE VENEZA 2015
lista de vencedores

Leão de Ouro – Melhor Filme: “Desde Allá” (Venezuela), de Lorenzo Vigas

Leão de Prata – Melhor Diretor: Pablo Trapero (Argentina), por “O Clã”

Grande Prêmio do Júri: “Anomalisa” (EUA), de Charlie Kaufman e Duke Johnson

Prêmio Coppa Volpi de Melhor Ator: Fabrice Luchini, por “L’Hermine” (França)

Prêmio Coppa Volpi de Melhor Atriz: Valeria Golino, por “Per Amor Vostro” (Itália / França)

Melhor Roteiro: Christian Vincent, por “L’Hermine” (França)

Prêmio Especial do Juri: “Frenzy”, de Emin Alper (Turquia / França / Qatar)

Prêmio Marcello Mastroianni de Revelação: Abraham Attah, por “Beasts of No Nation” (EUA)

Leão do Futuro – Prémio Melhor Primeira Obra: “The Childhood of a Leader”, de Brady Corbet

 

Mostra paralela Horizontes

Melhor Filme – “Free in Deed”, de Jake Mahaffy (EUA / Nova Zelândia)

Melhor Diretor – Jake Mahaffy (“Free in Deed”)

Melhor Ator – Dominique Lebornein, por “Tempête” (França)

Prêmio do Juri – “Boi Neón”, de Gabriel Mascaro (Brasil)

Melhor Curta-Metragem – “Belladonna”, de Dubravka Turic

Redes Sociais
Facebook
Instagram
Twitter
YouTube
Pinterest
LinkedIn
assine nossa newsletter
inscreva-se em nosso feed RSS

Deixe seu comentário