Elenco de EVEREST marca presença na abertura do Festival de Veneza 2015

Everest (elenco)

A 72ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza, realizado no Palácio do Cinema, na cidade de Veneza, na Itália, começou na última quarta-feira (02/set). A festa foi marcada pela exibição do filme de abertura do festival (e que está fora da competição principal), Everest, thriller da Universal Studios dirigido pelo islandês Baltasar Kormakur. O elenco é recheado de estrelas: Jake Gyllenhaal, Josh Brolin, Robin Wright, Sam Worthington, Jason Clarke e Emily Watson.

Everest - Jake Gilenhaal
Jake Gilenhaal é um dos astros de EVEREST, filme de abertura do festival

O filme, que estréia nos cinemas daqui duas semanas (em 17 de setembro), é inspirado em fatos reais ocorridos na maior montanha do planeta – o Monte Everest, no Nepal. A estória é sobre a jornada de duas expedições diferentes que são atingidas por uma das maiores tempestades de neve já registradas, fazendo com que os integrantes entrem numa luta por sobrevivência.

As filmagens de Everest foram feitas em locações no Nepal, aos pés do pico mais alto do planeta, e também nos Alpes italianos, nos estúdios Cinecittà em Roma e nos estúdios Pinewood, no Reino Unido. Recentemente, o Festival de Veneza ganhou fama de pé quente com seus filmes de abertura na corrida para as indicações ao Oscar. Nos últimos anos, filmes como BirdmanGravidade e Cisne Negro, indicados a várias estatuetas, começaram suas carreiras fazendo suas estréias mundiais justamente na primeira noite do evento veneziano.


 

Assita ao clipe promocional da Universal Studios com entrevistas do elenco de “Everest” durante a abertura do Festival de Veneza 2015:

Evereste - Melhores momentos no Festival de Veneza

Festival de Veneza é o mais antigo do mundo

Festival de Veneza 2015O diretor espanhol Alfonso Cuarón (“Gravidade“) é o presidente do Júri do festival em 2015. Assim como já ocorreu nos últimos três anos, o cartaz oficial foi desenvolvido pelo artista italiano Simone Massi, e mostra a grande homenageada deste ano, a atriz Nastassja Kinski (“Paris, Texas“).

Festival de Veneza, um dos maiores e mais tradicionais da sétima arte, é considerado o festival de cinema mais antigo do mundo – realiza-se anualmente desde 1932. Kristen Stewart, Michael Keaton, Eddie Redmayne, Tilda Swinton, Ralph Fiennes e Dakota Johnson são alguns dos astros e estrelas que estão entre os filmes selecionados para exibição este ano e que concorrem ao prémio máximo, o Leão de Ouro, que deverá ser anunciado no próximo dia 12 de setembro.

A disputa pelo prêmio principal deve ser uma das mais acirradas dos últimos anos.


 

Leão de Ouro

COMPETIÇÃO PELO LEÃO DE OURO
(mostra principal):

“A Bigger Splash”, de Luca Guadagnino (Itália, França) thriller psicológico envolvendo um casal de celebridades, com Tilda Swinton, Dakota Johnson e Ralph Fiennes

“A Garota Dinamarquesa”, de Tom Hooper (Reino Unido, EUA) – com Eddie Redmayne, vencedor do Oscar de melhor ator em 2014 por “A Teoria de Tudo“, que vive uma transexual. Batizada como Einar Wegener, Lili foi uma das primeiras pessoas a se submeter a uma cirurgia de mudança de sexo, em 1931 (estréia no Brasil em fevereiro de 2016)

“Anomalisa”, de Charlie Kaufman e Duke Johnson (EUA) – animação

“Beasts of no nation”, de Cary Fukunaga (EUA) – drama sobre “crianças-soldados” envolvidas na guerra civil de um país africano hipotético, protagonizado pelo ator inglês Idris Elba (e comprado pela Netflix para lançamento direto on demand nos EUA a partir de outubro/2015)

“Behemoth”, de Zhao Liang (China, França)

“Desde Allá”, de Lorenzo Vigas (Venezuela, México)

“O Clã”, de Pablo Trapero (Argentina, Espanha) – a maior bilheteria do ano até aqui na Argentina (o filme estreou por lá no mês passado) pode ser uma das grandes surpresas do festival e conta a estória verdadeira da família Puccio, que escondida sob um manto de aparente normalidade, sequestrava e assassinava pessoas durante a década de 1980 no país portenho.

“Onze minutos”, de Jerzy Skolimowski (Polônia)

“Equals”, de Drake Doremus (EUA) mostra um romance numa sociedade futurística onde as emoções foram erradicadas, numa espécie de “releitura romântica” de “1984“, de George Orwell. Com Kristen Stewart, Nicholas Hoult, Guy Pearce e Jacki Weaver (estréia no Brasil em novembro de 2015).

“Francofonia”, de Aleksander Sokurov (França, Alemanha, Holanda) – filmado no Museu do Louvre, em Paris

“Frenzy”, de Emin Alper (Turkey, França, Qatar)

“Coração de um cachorro”, de Laurie Anderson (EUA)

“L’attesa”, de Piero Messina (Itália)

“L’hermine”, de Christian Vincent (França)

“Looking for grace”, de Sue Brooks (Australia)

“Marguerite”, de Xavier Giannoli (França, República Tcheca, Bélgica)

“Per amor vostro”, de Giuseppe M. Gaudino (Itália, França)

“Rabin, the last Day”, de Amos Gitai (Isreal, França)

“Remember”, de Atom Egoyan (Canadá, Alemanha)

“Sangue del mio sangue”, de Marco Bellocchio (Itália) – filme sobre vampiros

“The endless river”, de Oliver Hermanus (South Africa, França)


 

Festival de Veneza 2015FILMES FORA DE COMPETIÇÃO

“Afternoon”, Tsai Ming-liang (Chinese Taipei)

“Aliança do Crime”, Scott Cooper (EUA) –  Com roteiro adaptado de um livro escrito por dois jornalistas do Boston Globe, traz um Johnny Depp quase irreconhecível, calvo e envelhecido (com cara de Imperador Palpatine de Star Wars), interpretando um mafioso da cidade de Boston chamado Whitey Bulger, preso em 2011, que figurava na lista dos 10 criminosos mais procurados pelo FBI há décadas, responsável por mais de 20 assassinatos (estréia no Brasil em novembro de 2015).

“De Palma”, Noah Baumbach e Jake Paltrow (EUA)

“Everest”, Baltasar Kormakur (EUA, Reino Unido) – Filme de abertura do festival. Estréia nos cinemas brasileiros em 17 de setembro de 2015.

“Gli uomini di questa città io non li conosco”, Franco Maresco (Itália)

“Go with me”, Daniel Alfredson (EUA, Canadá, Suécia)

“In Jackson Heights”, Frederick Wiseman (EUA)

“Janis”, Amy Berg (EUA)

“L’esercito piu piccolo del mondo”, Gianfranco Pannone (Vaticano)

“La calle de la amargura”, Arturo Ripstein (México, Espanha)

“Mr. Six”, Hu Guan (China)

“Non essere cattivo”, Claudio Caligari (Itália)

“Spotlight”, Thomas McCarthy (EUA)

“The audition”, Martin Scorsese (EUA)

“The event”, Sergei Loznitsa (Netherlands, Belgium)

“Winter on Fire”, Evgeny Afineevsky (Ukraine)


 

MOSTRA PARALELA “HORIZONTE”

Na mostra paralela Horizonte, o festival apresentará trabalhos interessantes, como os documentários sobre o cineasta Brian De Palma e a cantora Janis Joplin, e um curta-metragem inédito dirigido por Martin Scorsese e estrelado por Robert DeNiro, Leonardo DiCaprio e Brad Pitt. O Brasil será representado este ano por dois longas e um curta-metragem. Os longas são “Boi Neon“, do pernambucano Gabriel Mascaro (que traz Juliano Cazarré no papel de um vaqueiro que sonha em largar o trabalho no campo para se tornar estilista), e o drama “Mate-me Por Favor“, primeiro filme dirigido pela carioca Anita Rocha da Silveira, que conta a estória de dois irmãos assustados com uma onda de crimes que assombra a Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Já o curta-metragem “Tarântula“, dos paranaenses Aly Muritiba e Marja Calafanje, é um suspense que conta a estória de uma família religiosa que vive em um casarão distante.

“A Copy of my mind”, Joko Anwar (Indonésia, Coreia do Sul)

“A War”, Tobias Lindholm (Dinamarca)

“Boi Neon”, Gabriel Mascaro (Brasil, Uruguai, Holanda)

“Free in Deed”, Jake Mahaffy (EUA, Nova Zelândia)

“Interrogation”, Vetri Maaran (Índia)

“Interruption”, Yorgos Zois (Grécia, França, Croácia)

“Italian Gangster”, Renato De Maria (Itália)

“Madame Courage”, Merzak Allouache (Argélia, França, Emirados Árabes)

“Man Down”, Dito Montiel (EUA)

“Mate-me por favor”, Anita Rocha Da Silveira (Brasil, Argentina)

“Mountain”, Yaelle Kayam (Israel)

“Pecore in erba”, Alberto Caviglia (Itália)

“Taj Mahal”, Nicolas Saada (França, Bélgica)

“Tempete”, Samuel Collardey (França)

“The childhood of a leader”, Brady Corbet (Reino Unido, Hungria, Bélgica, França)

“Un monstruo de mil cabezas”, Rodrigo Pla (México)

“Wednesday, May 9”, Vahid Jalilvand (Irã)

“Why Hast Thou Forsaken Me?”, Hadar Morag (Israel, França)

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário