Blake Lively faz mulher que pára de envelhecer no romance “A Incrível História de Adaline”

adelinecartazoriginalA INCRÍVEL HISTÓRIA DE ADALINE
(The Age of Adaline)

Direção de Lee Toland Krieger

EUA, Romance, 2015. Duração 01h52. Com Blake Lively, Michael Huisman, Ellen Burstyn, Harrison Ford, Kathy Baker, Amanda Crew, Lynda Boyd. Classificação: 12 anos.

Parece mais um filme baseado num romance de Nicholas Sparks – o longa é direcionado principalmente ao público feminino, que ainda se encanta e se emociona com produções que exaltam a fábula do amor verdadeiro, daqueles capazes de atravessar anos e gerações para se realizar – mas não é.

Parece uma espécie de versão feminina de “O Curioso Caso de Benjamin Button”, pois conta a estória de uma jovem mulher que, após sofrer um grave acidente automobilístico, adquire a inusitada capacidade de parar de envelhecer – mas também não é.

Este fantasioso drama romântico, que faturou modestos 40 milhões de dólares em aproximadamente um mês de exibição nos EUA, é na verdade “A Incrível História de Adaline”, cuja personagem-título é interpretada pela atriz Blake Lively (de “Atração Perigosa”), casada com o Deadpool dos cinemas, Ryan Reynolds, e que estava sem atuar desde o final da série de TV Gossip Girl, há mais de dois anos.

Estamos em 1935 e somos apresentados a Adaline Bowman, uma moça que tem uma vida feliz e realizada: é casada com seu amor de infância e tem uma pequena filha para criar. De repente, tudo vira (literalmente) de cabeça prá baixo: em pouco tempo ela fica viúva, e algum tempo depois, numa noite em que viaja de carro pelo interior da Califórnia, começa a nevar – fenômeno climático raríssimo naquela região dos EUA – e ela sofre um acidente quase fatal – só não morre afogada porque ocorre uma espécie de “milagre” vindo dos céus (não vamos dar spoilers). Como resultado do ocorrido e de maneira inexplicável, ela percebe que não envelhece mais e permanece com a aparência de seus 29 anos de idade com o passar dos meses e anos.

adaline2No entanto, o que num primeiro momento poderia ser interpretado como dádiva, com o desenrolar da estória se revela na verdade uma maldição com a qual Adaline é obrigada a conviver. Ela passa a ter uma vida ainda discreta e reservada em São Francisco, vivendo na clandestinidade (e utilizando nomes diferentes) por não poder revelar seu segredo a ninguém – nem mesmo à filha, com a qual se vê impedida de conviver. Sem envelhecer, ela vê as pessoas que ama passarem por sua vida e morrerem, até que um dia encontra um novo pretendente amoroso – justamente o filho de um ex-namorado dela (interpretado por um Harrison Ford bem idoso e totalmente secundário na trama).

O roteiro é sem dúvida o ponto mais falho do filme. Não por ser mal desenvolvido, mas por ser inconvincente. A explicação para o que acontece com a protagonista é simplória e difícil de engolir, e além disso, os clichês de sempre vistos nos romances similares do gênero são ao mesmo tempo o principal defeito do longa para alguns e sua principal qualidade para aquele espectador (ou espectadora) pouco exigente e que ama de paixão esse tipo de filme. A estória só não desanda em razão de sua característica fantasiosa muito bem conduzida (o tempo passa e Adaline fica), e pela boa atuação do elenco, sobretudo Blake Lively, que defende e constrói com segurança e vigor uma personagem desafiadora, obrigada a viver sob circunstâncias absolutamente incomuns.

No fim das contas, “A Incrível história de Adaline” é um romance até que simples, de narrativa convencional e previsível, que não possui grandes conflitos ou reviravoltas. Sua dose de ousadia fica mesmo por conta do uso da peça de ficção da passagem do tempo, utilizada com a delicadeza necessária para deixar o resultado final um pouco acima da média, principalmente para fãs do gênero romance.


 

Veja abaixo dois trailers oficiais de “A Incrível História de Adaline”:

 

TRAILER #2 DUBLADO

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=3yOqVdIUhbM]


TRAILER #1 LEGENDADO

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=e1lA4uZPAwQ]

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário