“007 contra a Chantagem Atômica” (Thunderball): o filme “aquático” de Bond

007 contra a Chantagem Atômica

007 contra a Chantagem Atômica (Thunderball)Quarta aventura de James Bond, em filme novamente dirigido por Terence Young, que se ausentou de Goldfinger, o filme anterior. Na minha opinião, 007 contra a Chantagem Atômica (Thunderball) é um dos mais chatos filmes da série, com certeza o mais fraco de Sean Connery. Porém, foi um grande sucesso nos cinemas na época de lançamento (1965) e superou as três primeiras produções em bilheteria. Como resultado, se mantém até hoje como o filme de Bond de maior bilheteria nos EUA em todos os tempos (se considerarmos a correção pela inflação).

A premissa da estória é boa e novamente envolve a Spectre, através de seu número 2, Emilio Largo (feito pelo italiano Adolfo Celi). A organização criminosa sequestra um avião da OTAN e rouba duas bombas nucleares, chantageando as superpotências mundiais caso não receba uma fortuna para devolvê-las.

Bond é chamado a investigar e conhece duas das mais lindas bondgirls de toda a série. A primeira é a amante de Largo, a francesa Claudine Auger – que se envolverá com o agente, claro. Da mesma forma acontece com a bela vilã, Fiona Volpe (a também italiana Luciana Paluzzi). Ficou famosa, inclusive, a cômica cena em que Bond a surpreende nua na banheira e lhe oferece apenas sandálias para calçar.

007 contra a Chantagem Atômica

Chantagem Atômica e chatice oceânica

Thunderball tem boas sequências (principalmente as iniciais fora d’água) e inovou com inúmeras cenas aquáticas filmadas no fundo do mar. O apurado trabalho técnico da produção rendeu o Oscar de Efeitos Visuais em 1966. Só que essas passagens no oceano, apesar de muito bem filmadas, são intermináveis, modorrentas e com muito pouca ação, tornando-se maçantes e deixando o filme com uma “barriga” imensa. Além do mais, o filme também tem um final abrupto e mal realizado (a gente não tem a sensação que o filme vai acabar, e quando vai ver, o filme já acabou…)

Como curiosidade, 18 anos mais tarde, Connery fez uma refilmagem não-oficial desta aventura, pela Warner Bros. Intitulada Nunca Mais Outra Vez, o filme foi dirigido por Irvin Kershner (mesmo diretor de “Star Wars V – O império contra-ataca”) e tinha a ainda desconhecida Kim Basinger no papel de Domino.

Nota CINEMAIMERI – 6.0 ***


Veja abaixo o trailer comemorativo do filme, na época dos 50 anos de Bond (em inglês – sem legendas):

Thunderball (Bond 50 Trailer)

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário